Em sua forma mais básica, a propaganda é a informação tendenciosa ou enganosa divulgada por alguma forma de mídia de massa com a intenção de promover uma agenda ou ponto de vista político. A propaganda deliberadamente não é objetiva e geralmente faz parte de uma campanha psicológica mais ampla para influenciar as pessoas a ter uma opinião específica. Pode incluir mentiras descaradas ou desinformação e censura mais sutis.

Como Funciona a Propaganda

A propaganda funciona batendo nas emoções por meio de imagens, slogans e uso seletivo de informações ou controle e censura dos fatos. Isso é especialmente verdadeiro se a propaganda está sendo utilizada por um governo que controla a mídia por meio da censura ou um que possui e dirige meios de comunicação, como era o caso na ex-União Soviética.

A diferença entre propaganda e rumores é que a propaganda tem uma intenção por trás dela, geralmente com uma campanha organizada e financiada.

A publicidade política moderna, especialmente anúncios de ataque que criam uma impressão negativa sobre um candidato, pode cair na categoria de propaganda – embora tais anúncios sejam geralmente vistos como menos sinistros do que propaganda patrocinada pelo estado.

Exemplos famosos de propaganda

Os exemplos mais óbvios de propaganda acontecem durante as guerras, quando os governos tentam reunir seu povo contra um inimigo comum. Durante a Primeira Guerra Mundial e a Segunda Guerra Mundial, eram comumente usados pôsteres retratando o inimigo como o mal.

Esta técnica foi considerada importante não apenas para ganhar a opinião pública, mas para convencer os soldados a lutar em batalhas frequentemente sangrentas. Ainda é discutível se essa propaganda teve efeitos negativos de longo prazo. Apelidos depreciativos foram dados aos inimigos em ambas as Guerras Mundiais, e pôsteres mostravam soldados japoneses e alemães parecendo ratos ou monstros.

Durante a Guerra Fria, tanto a União Soviética quanto os Estados Unidos Os Estados usaram propaganda uns contra os outros, para tentar persuadir seus próprios cidadãos, assim como os de outros países, de quem estava certo. Na Cuba de Fidel Castro, a propaganda era comum, pois ele convocava os cubanos a abraçar o comunismo.

Usos não governamentais da propaganda

Não é sempre um estado ou instituição que usa propaganda. Corporações, organizações sem fins lucrativos e campanhas políticas usarão técnicas muito semelhantes à propaganda para afetar os preços das ações ou as condições do mercado, para promover uma parte da legislação ou para fazer um candidato rival parecer ruim.

Pode ser tão simples quanto espalhar um boato sobre uma empresa rival ou sugerir algum delito de um candidato político. Mesmo que as informações sejam falsas, se um meio de comunicação souber de um boato e começar a fazer perguntas, pode ser difícil contestá-lo.

Se um líder ou político, especialmente o presidente, fizer um comentário enganoso ou negativo sobre uma empresa ou pessoa, isso também pode influenciar a opinião pública em uma determinada direção.

Propaganda e notícias falsas

A propaganda deu uma guinada totalmente nova com o surgimento dos chamados sites de notícias falsas. Os editores que buscam receita de publicidade por meio de visualizações de páginas criarão artigos de “notícias” enganosos ou totalmente incorretos com manchetes sensacionalistas ou polêmicas. Depois que esses artigos começam a circular nas plataformas de mídia social, pode ser muito difícil verificá-los ou contestá-los.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *